• IF

  • Activities

    navigation

COLÓQUIO NARRATIVA, MÉDIA E COGNIÇÃO

From: 2016-06-30 To:2016-07-01

Go back
  • Thematic Line


    Modern & Contemporary Philosophy
  • Research Group


    Aesthetics, Politics & Knowledge
  • COLÓQUIO
    NARRATIVA, MÉDIA E COGNIÇÃO 

    30 Junho | 1 Julho 2016 
    Anfiteatro Nobre 
    Faculdade de Letras da Universidade do Porto

    Na sua terceira edição, o Colóquio Narrativa, Média e Cognição decorrerá nos dias 30 de junho e 1 de julho no Anfiteatro Nobre da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, apoiado pelo Grupo de Investigação Estética, Política e Conhecimento do Instituto de Filosofia da Universidade do Porto, dando continuidade às edições organizadas na Universidade do Minho (2014) e na Universidade Católica (2015).

    Ao longo de dois dias, o evento reunirá dezenas de comunicações científicas distribuídas por painéis temáticos, propondo um cruzamento abrangente de áreas que, por vias diversas, chamam a si o problema da narratividade.

     

    PROGRAMA DETALHADO

     

    ENQUADRAMENTO

    Na análise abrangente da discursividade, os estudos da narrativa ocupam naturalmente um espaço privilegiado. Em última análise, os conceitos de discursividade e narratividade tendem mesmo a convergir, o que impõe, desde logo, a necessidade de um questionamento renovado sobre a especificidade do discurso propriamente narrativo face a outros discursos. Será que devemos entender a narratividade como um processo fundacional da consciência humana (no âmbito fenomenológico) e da cultura (nos âmbitos político e epistemológico)? Ou devemos, pelo contrário, associar o conceito de narrativa ao domínio mais estrito das poéticas e metodologias narratológicas, tal como elas se manifestam nos mais variados suportes da performatividade e da expressão artística, desde a literatura ao cinema? O questionamento da narratividade e das suas narrativas ramifica-se tanto mais quanto maior a abrangência que vai sendo concedida ao conceito. Se, por um lado, a narrativa tende a confundir-se com a própria vida, perseguindo-se as respetivas leis em arquétipos psicanalíticos ou em dialéticas progressistas acerca da nossa História civilizacional, por outro lado a narrativa pode também ser assumida enquanto corpo estranho até no seio dos seus territórios mais nativos, onde o pendor “representacionista” e “figurativista” tenderia a afastar-nos da arte autêntica, como sugere Deleuze quando diz que “nenhuma arte é figurativa”. De facto, para uma arte tipicamente narrativa como o cinema, como entender, por exemplo, a afirmação de Jean Epstein de que “o cinema é verdade” enquanto “uma história é uma mentira”?

    O âmbito de questionamento da narrativa mantém-se transversal às linhas separadoras entre o real e o ficcional, entre a representação e a “fragmentação” (no sentido em que Rancière usa este termo), entre a vida e o objeto performativo ou entre a individuação (que reclama uma organização da memória) e a coletividade (comunicacional e social). É neste âmbito alargado que, uma vez mais, o colóquio “Narrativa, Média e Cognição” vem promover um espaço de discussão onde se cruzam as mais diversas linhas de investigação – narratológica, sociológica, fenomenológica, gnosiológica e estética – da narratividade.

     

    TEMÁTICAS

    30 JUNHO

    POÉTICAS E ESTRUTURAS NARRATIVAS NO CINEMA | 10h00
    TERRITÓRIOS DA NARRATIVIDADE | 14h00
    A NARRATIVA NOS NOVOS MÉDIA | 15h45

    1 JULHO

    ESTUDOS LITERÁRIOS E CÉNICOS | 10h30
    ANALÍTICA E ONTOLOGIA DA NARRATIVA | 14h00
    ÉTICA, SOCIEDADE E NARRATIVAS HISTÓRICAS | 16h00

     

    COMUNICAÇÃO | CONTACTO

    ifilosofia@letras.up.pt – Isabel Marques (Instituto de Filosofia – UP)

     

    DATA E LOCAL DO EVENTO

    30 Junho e 1 Julho 2016 | Anfiteatro Nobre
    Faculdade de Letras da Universidade do Porto
    Localização: https://sigarra.up.pt/flup/pt/WEB_BASE.GERA_PAGINA?p_pagina=1942

     

    COMISSÃO CIENTÍFICA

    Daniel Ribas (CITAR – UCP)
    Eugénia Vilela (Instituto de Filosofia – UP)
    Filipe Martins (Instituto de Filosofia – UP; ESMAE)
    Guilhermina Castro (CITAR – UCP)
    Jorge Leandro Rosa (Instituto de Filosofia - UP)
    Jorge Louraço (ESMAE)
    Jorge Palinhos (CECS-UM/CEAA-ESAP/CITAR-UCP)
    Né Barros (Instituto de Filosofia – UP; balleteatro; ESAP)
    Nelson Zagalo (CECS – UM)

     

    ORGANIZAÇÃO

    Filipe Martins (Instituto de Filosofia – UP; ESMAE)
    Grupo de Investigação Estética, Política e Conhecimento
    Instituto de Filosofia da Universidade do Porto - FIL/00502

       

    Go back