• IF

  • Activities

    navigation

FILOSOFIA E LITERATURA: Silêncio e Poesia em Teixeira de Pascoaes

From: 2018-03-14 To:2018-04-18

Go back
  • Thematic Line


    Modern & Contemporary Philosophy
  • Research Group


    Roots & Horizons
  • Seminário Aberto de 3º Ciclo

    FILOSOFIA E LITERATURA

    Silêncio e Poesia em Teixeira de Pascoaes

    Rodrigo Araujo
    (Instituto de Filosofia/Universidade do Porto)

     

    Sessão 1: Linguagem, sentido e experiência do silêncio: uma questão filosófica

    14 de março (quarta-feira) | 14h30
    Sala do Departamento de Filosofia (Torre B - Piso 1)

     

    Sessão 2: O silêncio na poesia de Teixeira de Pascoaes

    18 de abril (quarta-feira) | 14h30
    Sala do Departamento de Filosofia (Torre B - Piso 1)

    Faculdade de Letras da Universidade do Porto

     

    ENTRADA LIVRE

     


    Resumo: Objeto de interesse de vários campos disciplinares, o tema do silêncio efetiva-se como universalizante. O primeiro desafio que nos apresenta, todavia, é precisamente a sua inaudibilidade: como falar do inefável? Se há um numeroso corpus investigativo acerca daquilo a que o silêncio aparentemente se opõe, ou seja, à palavra, à voz e ao ruído, isto mostra-nos que a nossa abordagem (nunca unilateral) não pode escapar à relação essencial que lhe é inerente - o binómio silêncio/linguagem. Por isso, focar-nos-emos na maneira como a filosofia tem refletido sobre o assunto - talvez tanto quanto a literatura -  demarcando a pluralidade do tema, especialmente a sua modalidade de sentido (David Le Breton) e o seu valor metafísico e ontológico (Max Picard). Num primeiro momento deste seminário buscaremos (i) demonstrar como o silêncio articula filosofia e literatura e como ele se relaciona com uma série de temas fronteiriços entre o filosófico e o poético, permitindo-nos a problematização de algumas categorias como poeta-pensador, a partir de uma literatura dita «pensante»; (ii) a partir do pensamento filosófico de Maurice Merleau-Ponty pretendemos esboçar uma ideia de linguagem, sentido e experiência do silêncio num «Eu» que percebe e pronuncia o silêncio, e ao mesmo tempo num «Eu» que o escuta.

    Num segundo momento, o nosso objetivo é problematizar os modos de representação do silêncio na obra poético-filosófica de Teixeira de Pascoaes, poeta que encontra no silêncio o seu grande interlocutor. Em tudo Pascoaes encontra o silêncio: no espaço, na noite, no ser, na obra literária, na dor, na morte, em Deus, e até nas sombras. A partir de elementos recorrentes na poesia, como o «vago» e o «abismo», argumentaremos que o silêncio em Pascoaes é um elemento interrogativo (muito mais que metafórico) e fundamental para o seu cantar poético.

     

    Nota biográfica: Rodrigo Araujo é doutorando em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e Investigador Colaborador do Grupo «Raízes e Horizontes da Filosofia e da Cultura em Portugal», ligado ao Instituto de Filosofia da Universidade do Porto. Bolseiro CAPES (Brasil).

     

    Organização:
    Research Group Raízes e Horizontes da Filosofia e da Cultura em Portugal
    Instituto de Filosofia da Universidade do Porto - FIL/00502

    Go back

    Activities