• IF

  • Activities

    navigation

Mediações 2021

From: 2021-01-01 To:2021-12-31

Go back
  • Thematic Line


    Medieval & Early Modern Philosophy
  • Research Groups


    Aristotelica Portugalensia
    Reason, Politics & Society
  • Investigações em curso sobre Filosofia, Ciência, Sociedade e Literatura da Idade Média e do início da Idade Moderna na LT Medieval & Early Modern Philosophy do IF. Programa de 2021

    Os membros da linha temática “Medieval and Early Modern Philosophy” do Instituto de Filosofia e dos respetivos grupos de inestigação ("Aristotelica Portugalensia. The Reception of Aristotle in Portugal until the 18th Century" e "Reason, Politics and Society in Medieval and Early Modern Philosophy") apresentam as suas investigações em curso, abrindo-as à discussão interna.

    As sessões estão abertas à perticpação dos mbros da linh temática e a participantes convidados.

    Em cada sessão, um a dois investigadores apresentam trabalhos em curso, ideias de investigação, comunicações em preparação para congressos ou outros eventos, questões metodológicas, etc. Estes encontros visam sobretudo construir um espaço de debate, beneficiando da diversidade e das valências congregadas pela linha temática para consolidar investigações e construir novas perspetivas de trabalho, abrindo-as também ao diálogo com o pensamento contemporâneo e à inovação metodológica.

     

    Sessão 2: 25 de fevereiro às 16h00

    16h00 – Abertura.
    16h05 – João Rebalde: A ciência média em Pedro da Fonseca
    Resumo: O conceito de ciência média surgiu pela primeira vez na obra Concordia liberii arbitrii cum gratiae donis, divina praescientia, providentia, praedestinatione et reprobatione (Lisboa, 1588) do jesuíta Luis de Molina (1535-1600), para assegurar a presciência divina certa e verdadeira dos futuros contingentes e a sua compatibilidade com o livre arbítrio humano. Contudo, Pedro da Fonseca (1528-1599) utiliza o conceito no terceiro tomo dos Commentariorum in libros Metaphysicorum Aristotelis (escritos em 1596 e publicados em 1604) e declara ser o inventor da doutrina. Começa assim uma controvérsia que discute até hoje qual dos dois jesuítas descobriu primeiro o conceito. A maioria dos intervenientes considerou as doutrinas dos dois jesuítas idênticas e atribuiu a prioridade a Fonseca. Apesar disto a ciência média neste autor foi escassamente estudada e de um modo geral os estudos e debates contemporâneos sobre o conceito neste período incidem sobre a obra de Molina. O trabalho em preparação pretende contribuir para o estudo da ciência média em Pedro da Fonseca e discutir a invenção do conceito.

    17h05 – Mariana Leite: Bíblias medievais portuguesas no seu contexto peninsular: apontamentos sobre as traduções ibéricas da Historia Scholastica
    Resumo: Um pouco por toda a Europa, a Historia Scholastica de Pedro Comestor teve uma recepção extremamente ampla, circulando quer como fonte para estudos teológicos e historiográficos, sobretudo em meios universitários, quer como base para bíblias romanceadas, mais vocacionadas para o público laico. No caso ibérico em particular, a HS tem um impacto significativo na cultura em língua vulgar, já que foi traduzida ou serviu de base a obras nas principais línguas românicas ibéricas: Castelhano, Galego-Português, Aragonês. No caso destas duas línguas, a recepção faz-se do mesmo modo: através da transformação da HS em bíblias historiais/ romanceadas; no entanto, não é de decartar a relação das traduções com projetos mais latos - como, no caso do Castelhano, se verifica pela integração da HS no âmbito da produção de uma história universal. Nesta apresentação iremos refletir sobre as comparações que é possível estabelecer entre os três contextos.
    18h05 – Conclusão

     

    Sessão 1: 11 de fevereiro às 16h00

     

    Go back

    Activities