• IF

  • Activities

    navigation

Seminário Aberto de Estética - Da arte como absoluto. Em torno das filosofias da arte de Friedrich Schlegel e de Goethe

From: 2017-12-04 To:2017-12-06

Go back
  • Thematic Line


    Modern & Contemporary Philosophy
  • Research Group


    Aesthetics, Politics & Knowledge
  • Seminário Aberto de Estética

    Da arte como absoluto.
    Em torno das filosofias da arte de Friedrich Schlegel e de Goethe

     

    Sílvia Bento*
    (Instituto de Filosofia / Research Group Aesthetics, Politics and Knowledge)

     

    4 de dezembro 2017 | 15h30 | Sala 302

    6 de dezembro 2017 | 10h30 | Sala 301

    Faculdade de Letras da Universidade do Porto

    Entrada livre

     

    Resumo: «Continua... Dizias / Que no desenvolvimento da metafísica / De Kant a Hegel / Alguma coisa se perdeu. / Concordo em absoluto.» Os versos de Álvaro de Campos tornaram-se célebres entre os filósofos. Apologia da filosofia kantiana e reprovação do sistema hegeliano? Ou, num outro sentido, lamentação relativa ao oblívio que recai sobre o pensamento filosófico desenvolvido no período que medeia os dois filósofos evocados? A segunda possibilidade de leitura – sê-lo-á? (não é questão fundamental) – atrai as nossas preferências filosóficas. Os recentes estudos dedicados ao pós-kantismo e ao romantismo e idealismo alemães – surgidos no âmbito da epistemologia (Manfred Frank), mas também no contexto da estética (Andrew Bowie) – poderão ser compreendidos como um esforço de recuperação filosófica de tais pensamentos convencionalmente insertos no período cultural entre Kant e Hegel. A linha de orientação da presente comunicação é a da filosofia da arte; proporemos, através da evocação do pensamento estético do Frühromantik e, especialmente, de Friedrich Schlegel, compreender a elaboração de modos de teorização estética delineados como filosofia da arte [Philosophie der Kunst] no momento filosófico-estético posterior à publicação da «Crítica da Faculdade do Juízo» de Kant. A assunção da arte como problemática filosófica/metafísica, a configuração do conceito de arte [Kunst] à luz do conceito de absoluto, afim do conceito de Eu [Ich] de Fichte, e a avaliação apreciativa da dimensão de artificialidade [Künstlichkeit] da arte, serão temáticas a tratar. A consideração da introdução da noção schlegeliana de Ideia de arte [Idee der Kunst] permitir-nos-á, por fim, a elucidação do conflito estético entre a filosofia romântica da arte e a filosofia da arte desenvolvida por Goethe; seguindo atentamente o ensaio de Walter Benjamin «O Conceito de Crítica da Arte no Romantismo Alemão», procuraremos analisar, entre outras questões, as oposições entre os conceitos de Ideia de arte (Schlegel) e de Ideal de arte (Goethe) e entre as conceções de arte enquanto continuum infinito de formas (Schlegel) e enquanto domínio definido segundo a sua referência a entidades arquetípicas, as Urbilder (Goethe).

     

    Imagem: Barnett Newman, Concord (1949). The Metropolitan Museum of Art - New York

     

    * Sílvia Bento é doutoranda em Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP). É membro do Instituto de Filosofia (Grupo de Investigação Aesthetics, Politics & Knowledge) e bolseira de doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). Possui licenciatura (2011) e mestrado (2013) em Filosofia pela FLUP. 


    Organização:
    Research Group Aesthetics, Politics and Knowledge
    Instituto de Filosofia da Universidade do Porto - FIL/00502

    Go back

    Activities