Username: Senha:  Ok
http://193.137.34.200/proj/imago_mundi/tiago_pistoia
© 2021 Instituto de Filosofia da FLUP
Página actualizada a 15-07-2021
Página impressa a 27-10-2021

Tiago de Pistoia

(página em construção)


Imago Mundi, 10




Pouco conhecido entre nós, Magister Jacobus de Pistorio (mestre Tiago ou Jacó), natural de Pistóia, cidade da província italiana da Toscana, estudou em Bolonha durante a última década de 1200 e provavelmente desenvolveu as suas atividades de ensino na Faculdade de Artes e de Medicina (universitas artistarum et medicorum) também em Bolonha. Foi possível localizar entre os scholaris illustris que estudaram na Faculdade de Bolonha em 1290 os nomes de seu pai «D. Jacobus quondam Hugonis de Pistorio» e de um provável tio «D. Joahannes quondam Hugonis de Pistorio». No atual estado de conhecimento biográfico do autor ainda não foram encontradas indicações da data do seu nascimento e morte, assim como de outras informações sobre as suas atividades e a produção intelectual, além do pouco que abaixo se segue. A confirmação de que Tiago participou de uma disputa pública em Bolonha e, conforme o costume universitário, recebeu o título de magister, é atestada na única obra que lhe é atribuída: a Quaestio de felicitate. No incipit desta obra dedicada ao seu amigo, o poeta Guido Cavalcanti, e redigida entre 1290 a 1300, o autor aparece como «magister Jacobus de Pistorio», sendo que por volta de 1290 ele ainda constava nos registros da Universidade como dominus e não como magister, conforme demonstrado também pelo estudo de M. Corti. Por outro lado, a hipótese de Tiago ter sido magister da área médica foi evidenciada inicialmente pelos estudos de Maria Corti,e corroborada pelo trabalho recente de análise da coletânea de textos de interesse médico na qual constava a Quaestio e reforçada pela própria análise interna do texto da Quaestio realizados por Irene Zavattero (2003 e publicado em 2005). Considerando o ambiente intelectual bolonhês deste período, somado à presença de textos com posições filosóficas do aristotelismo radical (o chamado «averroísmo») e considerando, também, a própria abordagem realizada na Quaestio, fica reforçada a tese da influência recebida e da estreita vinculação do autor com as ideias dessa corrente filosófica.










A publicação deste volume contou com o apoio do Projeto estratégio do Instituto de Filosofia (Ref.ª PEst-C/FIL/UI0502/2011), financiado por Fundos FEDER através do Programa Operacional Factores de Competitividade - COMPETE (Ref.ª FCOMP-01-0124-FEDER- 022671) e por Fundos Nacionais, através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

© 2021 Instituto de Filosofia da FLUP. Página actualizada a 15-07-2021
Desenvolvido por